Cancún e Riviera Maia: Cenote dos Ojos

Lembram que terminamos o último post saindo de Tulum? Pois bem, saindo de lá, fomos conhecer um dos inúmeros cenotes que existem na região, e antes de falar mais dele pra vocês vou responder uma pergunta que talvez você esteja se fazendo agora – “mas o que raios é um cenote”?

Eu também nunca tinha ouvido falr de cenotes na minha vida até o dia que comecei a programar essa viagem, e, claro, o wikipedia me ajudou a entender melhor o que eram os tais cenotes… Segundo o site, “Cenotes são conexões entre a superfície e áreas alagadas subterrâneas. Enquanto os cenotes mais conhecidos são grandes piscinas medindo cerca de 10 metros de diâmetro, como as existentes em Chichén Itzá, o maior número de cenotes são pequenos locais abrigados e não necessariamente tem qualquer água de superfície exposta (…) As águas dos cenotes geralmente são límpidas, porque esta provem de filtragem de água de chuva lentamente através do solo e, portanto, contém poucas partículas suspensas. A taxa de fluxo das águas subterrâneas dentro de um cenote pode ser muito lenta. Em diversos casos, cenotes são áreas onde secções do teto das cavernas cederam, revelando um sistema de cavernas subjacente e as taxas de fluxo podem ser muito mais rápidas, cerca de 10 km (6,21 mi) por dia. Cenotes ao redor do mundo atraem exploradores de cavernas, que documentaram extensos sistemas de cavernas inundadas através deles, alguns dos quais com cerca de 100 km (62,1 mi) de extensão ou mais.”

Resumindo, cenotes nada mais são do que grandes cavernas inundadas por água, em sua maioria proveniente da chuva, mais em alguns cenotes existe comunicação direta com o mar. Além da área que fica visível, mais rasa, a maioria dos cenotes esconde um mundo de cavernas subterrâneas que formam verdadeiros labirintos e podem chegar a 100m de profundidade!! Como dito no texto acima, écomum exploradores de cavernas procurarem os locais pra fazer mergulhos explorando essas profundezas. Mas mesmo se você não é mergulhador, da pra nadar nas áreas expostas e mais rasas dos cenotes, que costumam oferecer águas absurdamente cristalinas e paisagens de tirar o fôlego!

O que não falta na região da Riviera Maia são cenotes! Um dos guias falou que existiam pelo menos uns 100! Ou seja, impossível ver tudo numa viagem! então, decidi escolher dois dos mais famosos pra visitar, o cenote dos Ojos (o mais famoso da região) e o cenote ik-kil, que será assunto de outro post mais adiante. Bom, o cenote dos Ojos é, sem dúvidas, o mais conhecido da região,e para entra basta pagar uma pequena taxa – algo em torno de 7 dólares. Ele é formado por duas áreas externas, denominadas “primero Ojo” e “segundo Ojo” que se comunicam por um labirinto de túneis subterrâneos que podem chegar a 80m de profundidade. Pra ver a comunicação entre os dois Ojos, é preciso ser um mergulhador experiente e levar material de mergulho, ou seja, não rolou, mas existe um tipo de passei que te proporciona conhecer a parte mais “profunda” da área externa do cenote usando apenas snorkel, mas com direito a escuridão total, cavernas ocultas e muitos morcegos!

Infelizmente, perdi as fotos que fiz no dia, então vou pegar algumas imagens da internet pra vocês verem a maravilha que é esse lugar.

Tulum_Cenote_Dos_Ojos
1420562762-13-Cenote_Dos_Ojos 5f9c5485a7c8311cf80a2b9659662419

 

Lindo não é? E a água é dessa corzinha mesmo! Pleas primeiras fotos parece super raso! mas nessa última imagem da pra ter uma noção melhor da profundidade! é bem fundo, mas eles oferecem colete se você. Essa parte mais iluminada que aparece na última foto, é a parte que pode nadar livremente. Vê essa região mais escura pra qual os mergulhadores estão indo? A partir daí, é possível visitar uma parte com snorkel apenas e a ajuda de um guia ( não pode ir sozinho, pois tem risco sim de se perder!), até chegar a uma caverna cheia de morcegos. Dali em diante, só mesmo com cilindro e uma equipe experiente.

Decidimos pagar o guia e fazer o passeio até a “bat cave” como eles chamam por lá. Pagamos cerca de 70 dólares o casal, com direito a roupa de neoprene, snorkel, nadadeira e lanternas e um guia para ir mostrando o caminho. O passei dura cerca de 1 hora e é absolutamente INCRÍVEL!!!!!! Nunca tinha tido uma experiência como aquela na minha vida! No começo dá muito medo, principalmente pela escuridão e também pela profundidade que chega a 8m em alguns trechos do passeio, mas você vai acostumando. Percorremos trechos escuros, com direito a muitas estalactites e estalagmites, passagens estreitas e uma linda caverna no final, com uma abertura lá no teto que permitia a luz do sol entrar num faixe lindo e muuuuitos morcegos! Gravamos um vídeo mostrando um pouco de mergulho pra vocês, infelizmente a qualidade não ficou tão boa, mas dá pra ter uma ideia boa de como é por la.

E é isso amores! Uma visita imperdível pra quem um dia decidir viajar pela paraíso da Riviera Maia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>